Jaciara e Valdney

SEJA BEM VINDO AO NOSSO SITE
Jaciara e Valdney

Sobre os noivos

"And now that we have found each others hand, our stories will never part ways again..."

PRÓLOGO

"Ele inspirou profundamente, inalando a fumaça, e deixou sair vagarosamente. Grande parte de sua face estava escondida atrás de um rígido e antigo elmo, atrás dele somente a escuridão. Na pequena claridade de seu cachimbo, era impossível ver seu semblante claramente. Ele se introduziu como um bardo - mas ninguém acreditou, pois sua voz era ríspida e rouca - e haviam outros desconfiados que ele havia viajado pela perigosa floresta sozinho. Entretanto, ele se ofereceu para contar uma historia, a comida e o calor do fogo fosse dividido com ele. Aceitaram, não podiam deixar aquele viajante só para a floresta fria. Sentaram-se confortáveis em volta do fogo, deixando todas as armas prontas para serem usadas em caso de perigo, e esperavam atenciosamente a história dele começar. A noite estava muito fria, sua voz grossa, estridente e medonha se revelava, enquanto seu cachimbo deslizava para a lateral da boca, abrindo-a e começando a falar."

Fotos Recentes

Foto: Noivado Jaciara & Valdney

                "O sonho que vou lhes contar aconteceu na madrugada de Julho de 2008. E não foi apenas um sonho, mas a história de uma outra vida. Uma época antiga, fantástica, que não possui o mesmo tempo cronológico de nossa vivência. Os castelo fortificados eram erguidos para proteger as pessoas de seus invasores. As pessoas passaram a viver em torno desses castelos praticando a agricultura e artesanato para sua própria sobrevivência. Com isso, guerras eram traçadas em busca pelo poder e não haviam muros ou castelos de mármore maciça que fosse capaz de evitar que o estrago fosse feito. Entretanto, mesmo diante de tanta desgraça e tristeza, ainda era possível sonhar com a esperança que o amor florescesse. Afinal, se tratando de amor, tudo é imprevisível.

                Em uma dessas batalhas, ao topo da árvore em uma colina, conheci uma elfa serelepe. Estatura mediana, orelhas pontiagudas - característica marcante dos elfos, olhos castanhos que lembram amêndoas e uma energia de tirar o fôlego. Seu sorriso era sua característica mais marcante além de suas orelhas, afinal, sempre carregava consigo como uma carta na manga, com o propósito de quebrar as possíveis barreiras que entrassem em seu caminho. Ela tinha um sonho: conhecer o príncipe encantado que a teria em seus braços e poderiam lutar juntos contra as forças do mal. A sua busca pelo príncipe encantado nunca chegava ao êxito. Na verdade, arrancavam, mesmo que por um instante, o sorriso que ela carregava no rosto que logo era tomado por lágrimas que, por mais tristes que fossem, deixavam o seu rosto ainda mais lindo. Certa vez ela decidiu seguir viagem, afinal, gostava de aventuras. Mas na volta para a casa, se perdeu. Não conseguia voltar para a casa de origem e me pediu ajuda, a qual lhe foi fornecida. Mas antes de continuar esta jornada, gostaria de lhes apresentar outro personagem.

                 Enquanto a minha querida elfa viajava explorando novos ares, eu estava pronto para a batalha. Entretanto, lutar sozinho não era a melhor ideia. Sempre acreditei no ditado de que "juntos somos fortes", e passei a procurar pessoas e criaturas que estivessem dispostas a lutar do meu lado com o mesmo propósito e, nessa busca, conheci um elfo melancólico que pouco me fazia acreditar que pudesse lutar ao meu lado. Também tinha orelhas pontiagudas, mas diferentemente da elfa serelepe, este possuíaa pele de cor acinzentada que mais parecia ter saído de um incêndio de uma cabana de madeira. Mas a verdade é que não gostava de sol! Passava mais tempo dedicando-se à noite que o dia. Não era forte, não era robusto, não vestia armaduras esbeltas, mas algo nele me chamava atenção. Era misterioso, mas aparentava ter um bom coração. Digo que era melancólico pela falta de diálogo. Quer dizer, diferente de mim, falava somente o necessário e não era de muitos sorrisos. Tivemos diversas batalhas juntos. Inclusive, muitas vitórias e algumas derrotas. Sua bondade, lealdade e espírito de equipe nunca me foram negados e acredito que justamente por isso permanecemos juntos até hoje.

                Eu tomava café em uma taverna velha do reinado, quando a carta que a elfa escreveu chegou até minhas mãos. Li atentamente ao conteúdo que se resumia em um pedido de ajuda. Meu coração bateu mais forte, senti que ele sairia pela boca só por imaginar que ela pudesse estar correndo perigo. Não pensei duas vezes em entrar em ir atrás do meu amigo de pele acinzentada para que pudéssemos ajudar minha outra amiga. Decidimos então seguir viagem. Pegamos o estritamente necessário para que chegássemos o mais rápido possível. Afiamos as lâminas das espadas, vestimos nossas indumentárias e seguimos viagem. Fomos pegos desprevenidos pelas mais diversas criaturas imagináveis que serviram como obstáculo para o caminho, mas nunca o suficiente para nos impedir.

                A viagem foi longa, mas felizmente conseguimos chegar ao encontro da elfa branca que me abraçou forte e agradeceu pela minha ajuda. Entretanto, algo havia acontecido de maneira esperada: o semblante do meu amigo elfo escuro havia corado. As maçãs de seu rosto logo mudaram de cor e eu pude perceber que algo estaria acontecendo ali. Apresentei-os, trocaram olhares tímidos e sorrisos discretos, mas para um bom entendedor, meia palavra bastava.

Os olhares trocaram-se intensos, carregados de interesses e emoções que não esperavam passar. O meu primeiro passo já havia sido dado. O que eu não esperava é que os sonhos de ambos pudessem se tornar realidade e se completariam, tornando-se um só. Após o primeiro contato, o jovem elfo, melancólico, e de poucas palavras se pronunciou convidando-a para uma cerveja em uma taverna conhecida da cidade, acreditando que era o primeiro passo de uma grande jornada que passariam juntos, incrivelmente pela vida inteira. Ela sorriu, derrubando todas as barreiras e obstáculos, abrindo a primeira porta para mais inúmeras outras histórias. “     

Fotos Recentes

 

"A vida só não é um conto de fadas se você permitir que ele não seja. Sonhos são feitos para serem idealizados e realizados."

 

Essa foi nossa história, contada aos olhos do Juscelio, nosso padrinho, e que nos apresentou naquela noite de julho de 2008.  


Esperamos que você, que esteja lendo, entenda que essa é a primeira pagina do nosso livro de conto de fadas, e que esse conto lhes floresça com a esperança de uma grande história, afinal, amor é um sonho, amor se vive, amor completa. O amor... Ah... O amor é mais um número infinito de livros para escrever uma história.